4 erros de gestão financeira que podem fechar sua empresa

4 erros de gestão financeira que podem fechar sua empresa

Uma das maiores dificuldades dos empreendedores é controlar todas as rotinas da gestão financeira em meio as tarefas cotidianas do negócio. Por vezes, parece que o “dinheiro evaporou” tão depressa, que não se sabe ao certo se o problema está no cálculo da margem de lucro, se os preços estão defasados ou se os custos estão muito altos. Se você se vê nestas condições, confira os 4 erros de gestão financeira que podem fechar sua empresa – e saiba como resolvê-los.

Erro 1 – Não controlar o Fluxo de Caixa

Para uma boa gestão financeira, ter um controle de entradas e saídas do caixa é fundamental. Somente assim, será possível saber o quanto a empresa tem disponível e ‘escapar’ de cair no cheque especial por conta de compras não planejadas ou, por esquecer daqueles dias mais críticos, quando se tem a folha de pagamento, o recolhimento de impostos e outras despesas de maior volume no mês.

Como estamos reféns de juros muito elevados, pegar dinheiro para cobrir despesas pode se transformar em uma dívida enorme. O controle do Fluxo de Caixa é uma ferramenta que o gestor pode e deve usar para evitar este tipo de problema.

O Fluxo de Caixa fornece informações a respeito das movimentações financeiras diária, mensal, trimestral e anual. Assim, o gestor pode conferir uma análise da situação da empresa e até descobrir gargalos que passavam despercebidos.

Outra função desta importante ferramenta de gestão é perceber com antecedência os resultados que a empresa terá se um fornecedor diminuir o prazo para pagamento das faturas, por exemplo. Mesmo que os preços deste fornecedor não aumentem, o fato de alterar o calendário de pagamentos já traz uma enorme mudança no Fluxo de Caixa. Com isso, para não corroer o capital de giro pagando antes de receber, o gestor poderá se precaver e aplicar esta mesma mudança de prazos para receber dos seus clientes.

Leia também: Como fazer o Fechamento de Caixa corretamente

 

controle-financeiro

 

Erro 2 – Misturar despesas fixas e variáveis

As despesas fixas são aquelas que não mudam em função da produção ou quantidade de vendas de uma empresa, como o aluguel, por exemplo. Isto quer dizer que é preciso avaliá-las com cuidado e verificar se podem ser reduzidas, já que elas continuarão existindo independentemente das receitas da empresa. Despesas fixas muito elevadas causam queda de liquidez, pois provocam saídas mensais e contínuas mesmo que o faturamento caia em determinados períodos do ano.

Enquanto isso, as despesas variáveis estão diretamente ligadas às vendas, ou seja, quanto mais a empresa faturar, maiores serão estas despesas e elas costumam ser embutidas no preço. Entretanto, algumas vezes as despesas fixas são tão altas que o empresário se vê praticamente obrigado a vender abaixo do preço para poder fazer caixa rápido a fim de cobri-las. Por isso, é preciso contar com um bom controle e relatórios detalhados a fim de tomar as melhores decisões.

Erro 3 – Não ter relatórios de gestão financeira à disposição

Para o sucesso da gestão financeira e, para que a saúde da empresa não seja comprometida, é preciso que o gestor tenha em mãos relatórios completos e confiáveis. Através dos relatórios gerenciais, é possível alinhas estratégias de vendas para atingir objetivos, assim como conter despesas desnecessárias e controlar as saídas de dinheiro.

Ter as informações que mais precisa em tempo hábil garante decisões acertadas, aumenta a capacidade de negociação com fornecedores e reduz o grau de incertezas do negócio.

 

RELATÓRIOS GERENCIAIS

Erro 4 – Não analisar as Demonstrações Financeiras para identificar problemas

É comum que grande parte dos empresários ainda não analisem, com o devido valor, os Demonstrativos de Resultados e o Balanço Patrimonial. Isso acontece porque muitos ainda acreditam que a contabilidade mensal fecha com a folha de pagamento e o recolhimento de impostos. Esta situação é mais comum ainda, quando as empresas não trabalham com o Lucro Real.

Sem analisar as Demonstrações Financeiras, o empreendedor perde informações preciosas como: nível de endividamento e se o capital de giro poderá ser ameaçado por imobilizações, como ocorre nas empresas com grande quantidade de máquinas, equipamentos e estoque, mas sem folga de caixa.

Analisando as Demonstrações Financeiras periodicamente, o empresário poderá verificar se o grau de endividamento não ultrapassa o limite aceitável de 30% do Capital Social. Também pode conferir se o ativo permanente não ultrapassa 60% dos ativos do negócio. Percentuais acima destes patamares colocam a liquidez em risco, fazendo com que seja preciso buscar fundos emergenciais descontando duplicatas, por exemplo.

A análise dos Relatórios Gerenciais garante ao empresário uma gestão financeira eficiente através da tomada de decisões acertadas e o futuro próspero da empresa.

Capa 3D - Guia Gestao Financeira

Preparamos um e-Book especial para você: Guia de Gestão Financeira para Empreendedores

.

E você, tem conseguido ficar longe destes 4 erros da gestão financeira que podem levar uma empresa à falência? Tem alguma dúvida sobre este assunto? Deixe seu comentário!

Quem somos e o que é o SBgestor?


anuncio 2

Nós somos a SBsistemas e há mais de 12 anos desenvolvemos soluções estáveis e focadas na realidade de nossos clientes. Dentre elas está o SBgestor, o software de gestão feito sob medida para atender as necessidades reais das micro e pequenas empresas.

SBGestor é uma ferramenta poderosa e simples de usar que vai facilitar a rotina da sua empresa gerando mais controle, competitividade e economia. E mais: fazemos questão de garantir custo acessível, agilidade na implementação do sistema e um suporte qualificado que vai conquistar você!


Compartilhe esse post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *