Intraempreendedorismo: estratégia para sua empresa inovar

Intraempreendedorismo: estratégia para sua empresa inovar

Aplicar o intraempreendedorismo na sua empresa pode ser o divisor de águas em termos de inovação e transformação do capital humano na jornada rumo ao sucesso. Entenda porquê.

Luana Bettu Cordeiro

As constantes mudanças no mercado e o aumento da competitividade estão exigindo que as empresas repensem suas estratégias de planejamento e posicionamento. Diante desses desafios, se faz necessário ter criatividade para inovar sempre, a fim de alavancar as vendas e manter a competitividade.

Neste cenário, gradativamente os empreendedores estão percebendo que sua maior fonte de criatividade está em seus colaboradores. Por esta razão, o intraempreendedorismo tem se mostrado uma importante ferramenta estratégica de inovação e que destaca as empresas no mercado em que atuam.

Intraempreendedorismo para inovar e renovar

intraempreendedorismo

Originada da expressão intrapreneur, em inglês, intraempreendedorismo significa “empreendedorismo interno” ou “empreendedorismo corporativo” e é um dos mais importantes recursos nas empresas de alta competitividade.

As capacidades de inovar e renovar são extremamente valiosas nos dias atuais, principalmente quando percebemos que existe uma exigência maior dos consumidores por produtos de melhor qualidade, tecnologias cada vez mais avançadas e soluções novas para diversos problemas.

Apenas as empresas que conseguem responder com agilidade a estas demandas e, ao mesmo tempo, acompanhar a evolução do mercado poderão progredir em um ambiente tão competitivo. Este é o grande desafio dos novos tempos, onde somente as empresas preparadas conseguirão sobreviver.

A gestão do intraempreendedorismo

intraempreendedorismo-inovar-renovar

Como empreendedorismo corporativo, podemos dizer que é a capacidade que um membro da empresa tem para inovar, criar novos produtos e serviços dentro dos limites da organização.

Os intraempreendedores são um capital humano valioso para as empresas e possuem ao menos três características em comum:

  • Capacidade de assumir riscos;
  • Identificar oportunidades;
  • Alto nível de criatividade.

O desafio, neste aspecto é que a organização tenha estratégias eficientes para aproveitar ao máximo essas habilidades que já estão disponíveis “dentro de suas paredes”.

Por conta disso, empresas dos mais diversos segmentos já investem na gestão do intraempreendedorismo. Algumas delas são altamente reconhecidas no cenário mundial não apenas por seu poder econômico, mas pela imagem que transmitem e pelo espírito inovador. Dentre estas, destacam-se: Google, Facebook, 3M e muitas outras.

A gestão do intraempreendedorismo tem como meta otimizar e compartilhar o conhecimento de seus colaboradores, desenvolvendo suas habilidades como ferramentas de inovação. Com isso, conseguem criar e aperfeiçoar processos e produtos, ganhando destaque no mercado.

Nessa nova era, as organizações precisam deixar de ser apenas mais uma marca e se transformarem em uma fonte de inspiração ou estilo de vida. Com isso, devem procurar criar necessidades e despertar o encantamento do consumidor.

Incentivando as habilidades internas

Portrait of two business woman working in her office.

Os colaboradores são um importante recurso para aumentar o nível de inovação de um negócio.

Incentivando e aproveitando o conhecimento de cada indivíduo se torna possível identificar novas ideias que poderão ser usadas em prol da empresa, resolvendo problemas ou desenvolvendo novas soluções em produtos e serviços.

Remodelar a cultura organizacional é um desafio que precisa ser encarado o quanto antes, para que as empresas passem a valorizar seu capital intelectual. É preciso existir um ambiente que incentive e reconheça pensamentos inovadores que tragam vantagens ao negócio.

Os empreendedores internos são capazes de colaborar significativamente em áreas estratégicas das empresas. Como estão diretamente ligados a processos e produtos, contam com o “know-how” necessário para identificar pontos fortes e fracos, além de propor soluções que aumentam a competitividade do negócio frente ao mercado.

Assumir desafios faz parte de empreender

intraempreendedorismo-desafios

Aquele que possuir espírito empreendedor é capaz de fazer com que suas ideias se concretizem e se transformem em oportunidades. Assumir desafios e correr riscos faz parte do empreendedorismo. Portanto, estimular os indivíduos a assumir os riscos de suas ideias inovadoras e fazer com que a empresa aprenda a aceitar fracassos, é trabalhar em um ambiente com alto nível de maturidade e propenso ao sucesso.

Entretanto, grande parcela das empresas ainda possui dificuldades em aceitar e estimular o comportamento empreendedor de seus colaboradores. O principal receio é comprometer o nível de hierarquia e a autoridade exercida por seus proprietários. Investir em novas ideias também é um risco que muitos não querem correr.

Para que a gestão do intraempreendedorismo possa acontecer e contribuir de fato com a organização, é preciso que os líderes se empenhem em estimular funcionários a comunicar suas ideias.

A liderança deve gerenciar o aperfeiçoamento contínuo de seu capital humano e proporcionar qualificações através de cursos, treinamentos, remanejamentos. Mas, mais do que isto: despertar nos colaboradores a consciência de que sua dedicação e empenho são realmente importantes e que o mérito de seu trabalho será reconhecido.

Pequenas habilidades podem ser aprimoradas e, com o tempo, somam pontos que agregam valor ao negócio e o tornam fonte de inovações.

 

 

Compartilhe esse post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *